Uma das missões da Bold é te mostrar que não é preciso abrir mão de nada para ter uma vida saudável. O dia a dia fica mais surreal quando desfrutamos dos nossos sabores preferidos. 

Não podemos esquecer que a obesidade é um problema de saúde pública. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é um dos maiores desafios atuais e futuros. A preocupação justifica-se devido ao aumento dos riscos de desenvolver doenças crônicas graves, como diabetes, hipertensão e cardiopatias. O peso extra também é considerado comorbidade para diversas doenças. Ou seja, agrava diversas condições que poderiam ser mais leves. 

Mas como chegar a um peso adequado comendo de tudo, dona Bold? Você pode se perguntar. Temos a resposta: é possível, muito melhor para seu corpo e mais gostoso, claro. 

Importante ressaltar que emagrecer comendo de tudo não significa comer à vontade, sem consciência, como vamos mostrar neste artigo. 

Comer de tudo apenas no dia do lixo?  

Já parou para pensar como a expressão “dia do lixo” é problemática? A fome é um problema sério no mundo e nenhum alimento pode ser considerado lixo. Também é preciso entender que podemos comer de tudo, até mesmo aquela bolacha recheada, brigadeiro ou bolo de aniversário, desde que saibamos como. 

Então, é saudável ter uma vida repleta de sabores. O que é prejudicial para o corpo é se privar dos desejos. Muitas vezes, esses alimentos nutrem nossos afetos e fazem parte de momentos memoráveis de socialização. 

De acordo com a especialista em alimentação Sophie Deram, o nosso organismo é capaz de lidar com as exceções. Ela também alerta para o fato de que não é saudável desconsiderar as consequências dos alimentos, quantidades e principalmente qualidade. O segredo, como sempre falamos, é o equilíbrio. 

Qual dieta permite comer de tudo? 

A dieta que mais se aproxima do objetivo de emagrecer comendo de tudo é a flexível. Ela considera os percentuais de macronutrientes que devemos ingerir diariamente - carboidrato, proteína, gordura e fibras - para determinar os limites. Porém, a forma mais prática de comer de tudo, ser saudável e ainda perder peso é não cortar nutrientes e concentrar-se nas opções mais naturais, consumir menos as opções ultraprocessadas. É certo que eles facilitam nossa vida, porém, é preciso ficar atento às informações dos rótulos para escolher os melhores alimentos para nossa saúde. 


Pensar em um estilo de vida em vez de uma dieta ainda elimina o estresse e ansiedade com a alimentação. Também tende a durar mais que um regime específico e evitar que você tenha comportamentos compulsivos alimentares. 

Comer de tudo, mas não tudo 

Podemos comer de tudo para uma vida incrível e saudável. Porém, não quer dizer que você deve se alimentar com mais comida do que seu corpo, e até desejo, pedem. “Comer de tudo, mas não tudo” é uma das diretrizes da Dra Sophie Deram. Ela explica que o nosso organismo é sábio. Assim, devemos compreender os sinais que ele emite. 

Sinais de fome 

Há menos que você tenha algum problema de saúde que demande comer de três em três horas, não é preciso seguir essa “regra”. Os gastroenterologistas recomendam que pessoas com gastrite e reflexo, por exemplo, se alimentem em intervalos menores, com porções pequenas. 


Grávidas também comem dessa forma para evitar os enjoos. Mas, sem essas indicações, tente entender quando está verdadeiramente com fome. Algumas pessoas perdem essa percepção por fazerem dieta com horários há muito tempo, porém, ao observar mais o seu corpo você vai entender quando é necessário fazer uma refeição. 

Saciedade 

Tão importante quanto entender quando temos fome é identificar a saciedade. Não é saudável ingerir uma barra inteira de chocolate quando três quadradinhos seriam suficientes para matar sua vontade. Comer devagar, desfrutando de todas as sensações, ajuda a entender o momento de parar. Lembre-se: o corpo é sábio. Uma estratégia que vale a pena tentar é o mindful eating, algo que pode ser traduzido como comer com consciência. Cultivar uma boa consciência corporal também pode ajudar. 


E mesmo se você esforçar-se e não conseguir parar, comer mais do que deve, procure ajuda, você pode estar com compulsão alimentar ou outro problema que desencadeia esse tipo de comportamento. 

Desejos alimentares 

Mais do que matar a fome, os alimentos deixam nossa vida mais gostosa. Por isso, ter desejos com alimentos específicos é normal e saudável. Aprenda a escutar suas vontades e saciá-las da forma correta. Ter desejo de comer algo não quer dizer que você deve comer demais, apenas na medida. Tente ampliar seu paladar também e teste receitas diferentes, com ingredientes saudáveis, releituras muito gostosas de pratos tradicionais também. 

Contar calorias é uma roubada 

Algumas dietas pregam que podemos comer de tudo desde que a quantidade de calorias não ultrapasse nossa necessidade diária. Há muitos problemas neste método. Embora o emagrecimento aconteça com o déficit calórico, não significa saúde. É possível ficar dentro do limite calórico ao optar por alimentos menos nutritivos, por exemplo. Além dos riscos nutricionais, contar calorias pode causar outros problemas como ansiedade, estresse e até transtorno obsessivo compulsivo (TOC). 

Emagrecer comendo de tudo

Ao restringir as calorias, comer pouco, o corpo sente-se ameaçado e gasta a energia de forma mais lenta. Por isso, é mais recomendável ter uma alimentação variada. O organismo que funciona bem tende a ter um metabolismo melhor. Além disso, ao comer de tudo, as chances de ter comportamentos compulsivos diminuem bastante. 

Malefícios de excluir alimentos ou nutrientes

Cada nutriente tem um papel em nosso corpo. Por isso, ao excluir um grupo inteiro, podemos até emagrecer inicialmente, mas comprometer a saúde. Ao tirar as gorduras, por exemplo, pode-se desregular os hormônios sexuais desregulados. Sem os carboidratos, ficamos sem energia para nossas atividades. 

Assim, se seu objetivo ou necessidade é perder peso, o mais indicado é emagrecer comendo de tudo, mas não tudo. Aprenda a reconhecer as necessidades do seu corpo e só corte alguma substância se você tiver alguma restrição médica. Caso contrário, não abra mão de nada. 

Lembre-se que sentir-se bonito faz bem para a autoestima, mas magreza não significa beleza e muito menos saúde. 

Para acompanhar reflexões e informações para melhor relação com seu corpo e saúde, continue com a gente. Assine nossa newslwtter! 

23 de dezembro de 2021 — Talita Camargos

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados