Por aí já bateu aquela fome de comer doce? E se eu te contar que há quem fique fissurado em alimentos triviais, tipo feijão? O desejo alimentar de algumas pessoas vai por caminhos estranhos: terra, tijolo, giz e muitos outros. Não, não é coisa só de grávida.

Pode acontecer de você ter vontade de comer alimentos que detestava antes. Os motivos são muitos:

  • Falta de nutrientes
  • Variação hormonal
  • Fatores culturais

Os desejos por alguns alimentos específicos ainda podem indicar deficiências nutricionais, como vamos mostrar.  

O que são desejos alimentares

Os desejos alimentares têm mais relação com nossas vontades do que com a necessidade de matar a fome. Quando o desejo é exagerado, ele é classificado como compulsão alimentar. Para entender o conceito e como ele pode afetar sua saúde, é necessário entendê-lo. Também é preciso se familiarizar com as definições de fome emocional e biológica.

Fome emocional X fome biológica

Quando comer torna-se um mecanismo para lidar com nossos sentimentos, temos o que chamamos de fome emocional. Ela não é desencadeada apenas para sentimentos negativos, como a tristeza e angústia, também pode aparecer como forma de lidar com a alegria e felicidade. Torna-se um problema quando ocorre com frequência e nos leva a escolhas alimentares prejudiciais para a saúde.

Por isso, esteja atento à ocorrência da fome emocional. Se a comida é uma forma de lidar com questões psicológicas, procure ajuda de especialistas.

A fome biológica é a necessidade fisiológica do corpo por comida, tanto para conseguir energia quanto para nutrir-se com as substâncias necessárias para uma boa saúde. 

Dietas radicais e a compulsão alimentar

O desejo exagerado, sem controle, é a definição de compulsão alimentar. Além de questões hormonais e algumas doenças, as dietas radicais podem ser o gatilho para esse descontrole diante da comida. Lembre-se que não há vilões e mocinhos na alimentação, tudo é questão de equilíbrio. Uma vida surreal e saudável de verdade permite a ingestão de qualquer tipo de comida, desde que com consciência.

Ainda precisamos dar preferência a pratos variados e com predominância das chamadas comidas de verdade, menos industrializadas.

Desejos alimentares na gravidez

A mulher grávida pode ter o desejo por comidas inusitadas e até por alimentos que não gostava antes. Os culpados são os hormônios, prolactina e progesterona, além das demandas do organismo de quem gera uma nova vida. Como vamos esmiuçar adiante, o organismo tem uma necessidade maior por ferro.

O fator emocional também conta para os desejos alimentares da futura mamãe. Com um empurrãozinho dos hormônios, as emoções ficam a flor da pele. Como elas têm um aval para os pedidos estranhos, contar com o marido ou pessoas próximas satisfazendo mil e um desejos, afaga a carência.

Além disso, a espera de um filho traz preocupações com o futuro da criança e ansiedade, o que pode despertar a fome emocional. A crença de que grávidas comem por dois também pode contribuir com o despertar das vontades. Mas, cuidado com a influência de toda essa revolução hormonal e de vida. 

O ideal é cuidar do que você come e do psicológico. Se necessário, procure um nutricionista e psicólogo para dar apoio nesse período tão especial.

Fatores culturais e desejos alimentares

Muitos estudos defendem que os costumes são os principais responsáveis por nossas vontades. No Oriente, por exemplo, o chocolate não é tão desejado quanto no Ocidente por questões culturais.

John Apolzan, professor de Nutrição Clínica e Metabolismo do Pennington Biomedical Research Center, nos Estados Unidos, defende essa corrente, conforme afirmou a uma matéria da BBC.

“Se você sempre come pipoca quando assiste ao seu programa de TV favorito, seu apetite por pipoca aumenta quando você faz isso”, diz Apolzan.

A publicidade, que sempre destaca alimentos mais palatáveis, também desperta o desejo das pessoas, de acordo com estudiosos que analisam o fator cultural como o principal para o despertar do desejo.

“Sabemos, a partir de estudos e observações clínicas, que uma emoção negativa pode provocar mais desejo por comida e, para alguns, tornar-se uma compulsão. Este padrão tem pouco a ver com uma necessidade biológica ou fome fisiológica e mais com as regras que estabelecemos em relação à alimentação e as consequências de sua transgressão.”, de acordo com Hill, à frente de estudos alimentares na Universidade de Albany, Estados Unidos.

Desejo por certos alimentos pode indicar deficiência de minerais

Nutricionistas e diversos cientistas já defendem que determinados desejos alimentares indicam deficiências nutricionais. O corpo teria uma inteligência de despertar a vontade do indivíduo exatamente para o que precisa. 

“É uma maneira que o corpo tem de se preservar. Ele começa a sinalizar de diversas formas, uma delas é o desejo por determinados alimentos. É como prega a medicina chinesa, o corpo fala e devemos prestar atenção a esses sinais.” (Adriana Stravo, nutricionista, ao jornal Correio Brasiliense).

Desejos mais comuns e o que eles podem indicar

Na lista dos alimentos mais desejados, você vai notar que há os queridinhos e outros alimentos mais inusitados, como vamos mostrar.

Chocolate e fator hormonal

Quem nunca escutou uma mulher dizer que vai comer chocolate para aplacar os sintomas da TPM? Esse desejo alimentar é simples de entender pelo sabor e também por causa da oscilação dos hormônios durante o período pré-menstrual. A produção de serotonina cai e o sentimento de tristeza pode aparecer por conta disso. 

No chocolate, há substâncias que ajudam a ter bem-estar instantâneo, por isso, o desejo por essa maravilha aparece na TPM.

A vontade maior de comer chocolate também é comum nas pessoas que apresentam queda de magnésio.

Como mostramos em um outro artigo, o chocolate é benéfico, desde que a gente coma de forma equilibrada e escolha bons tipos de chocolate.

Gelo

A pagofagia, vício em mastigar gelo, é mais comum do que se imagina. Trata-se de uma alotriogeustia, vontade de comer algo não nutritivo. De acordo com especialistas, esse desejo está relacionado a alguma carência nutricional. No caso do gelo, indica falta de ferro no organismo. Pessoas anêmicas têm esse inusitado desejo de mastigar gelo.

Estranho?

A explicação é que pacientes com anemia sentem gosto alterado, boca seca e têm feridas na língua. O gelo ameniza o incômodo provocado por esses sintomas. 

Doces

Oscilações hormonais, como gravidez e tensão pré-menstrual, provocam baixa de tripofano. Esse é um dos motivos pelos quais as mulheres procuram pelos doces nesses períodos.  

Queda de glicose no sangue também abre o apetite açucarado. O corpo tende a procurar alimentos que aumentem-na mais rápido. Nesse processo, ainda libera grelina, responsável por aguçar os desejos por alimentos com mais glicose.

Leite e queijo

Queijo é uma delícia, leite está presente em várias preparações e pode ser consumido de maneira deliciosa sozinho. Tudo bem consumi-lo de forma equilibrada, mas se seu desejo está acima do normal, ligue o alerta. Você pode estar com baixa dosagem de cálcio no organismo.

Tomate

Já viu alguém louco por tomate? Pois, existe quem não consiga se controlar diante deles, mesmo que por um curto período. O consumo exagerado do alimento pode indicar carência de potássio no organismo. Que loucura, não é mesmo? 

Feijão (terra e até tijolo, siiim)

Deficiência de ferro é muito comum na gravidez e infância. A gestação demanda muito esse nutriente. Por isso, mesmo mulheres que nunca gostaram de feijão, podem ter uma vontade súbita e exagerada de consumi-lo. Já as crianças, podem estar com deficiência do nutriente por carência na alimentação. Outro fator é a necessidade do corpo pela substância em determinados períodos do crescimento.

Você já ouviu falar de grávidas ou crianças que comem terra? A explicação científica é convincente. Na terra e derivados, digamos assim, a exemplo do tijolo, há abundância de ferro. Como o corpo é inteligente, o organismo desperta o desejo alimentar por esses “alimentos” inusitados.

Frutas cítricas

Se seu desejo inexplicável é por frutas cítricas, dê uma atenção à saúde do estômago. Elas facilitam a digestão e podem indicar algum problema nesta região do corpo. Se você sente outros sintomas então, os motivos para fazer exames e ver como anda a saúde digestiva é ainda maior.

Como lidar com os desejos alimentares

Ter vontade de comer algo de vez em quando ou possuir um alimento preferido é normal. Faz da vida mais gostosa. Mas, se seu desejo apareceu de forma repentina e é persistente, procure ajuda médica para checar se você está com alguma deficiência nutricional, hormonal ou psicológico.

Ter versões mais saudáveis de alguns alimentos, como o chocolate, também é uma boa estratégia para não abrir mão de algo que gosta. Afinal, como mostramos, as restrições alimentares podem desencadear compulsões. Variar as preparações, fugindo da monotonia alimentar, também ajuda.

Ter uma alimentação variada ajuda a ter os nutrientes em equilíbrio e evita os efeitos das restrições.

Acompanhe as receitas da Bold Snacks e as dicas para uma vida surreal!

18 de novembro de 2021 — BOLD Contato