Docinho, saboroso, natural e versátil. O mel é rico em nutrientes e famoso por ser muito bom para a saúde.

Porém, como todo o alimento, o excesso no consumo de mel gera o efeito rebote no organismo.

Quer saber mais sobre os benefícios e cuidados na hora de inserir o mel no seu dia a dia? Neste artigo vamos te mostrar tudo isso e muito mais, venha com a gente!


O que é mel?


O mel é um alimento produzido através do néctar das flores e processado por enzimas digestivas das abelhas. Sua primeira menção foi ilustrada em uma pintura rupestre nas cavernas de Araña, em Valência, na Espanha, há 8000 anos.  

Ele é conhecido pelo seu gosto adocicado e também pelas propriedades medicinais usadas há milênios na história da humanidade. 

Assim, há diversos (e bons) efeitos do mel que acompanham as gerações em receitas caseiras.

Por ser rico em açúcares (glicose e frutose) e carboidratos, ele se torna uma boa fonte de energia. Mas não deixa de ser um alimento bastante calórico. 

Quais são os tipos de mel?

Você sabia que o sabor, aroma e cor variam de acordo com o tipo de mel? Isso acontece porque cada flor que a abelha suga o néctar é diferente. Confira os tipos de mel mais consumidos no Brasil:

Mel silvestre: é extraído de uma variedade imensa de flores e encontrado com mais facilidade. Pode ser consumido em receitas e com frutas, por exemplo.

Mel de flor de laranjeira: como o próprio nome já conta, esse mel é extraído das flores de laranjeira e possui coloração clara, sabor mais cítrico e é bem doce.

Mel de flor de eucalipto: extraído das flores de eucalipto, esse tipo de mel apresenta coloração escura e sabor refrescante, é muito utilizado no tratamento de doenças respiratórias.

Mel de assa-peixe: ao contrário do que você pode estar pensando, assa-peixe não tem relação com o animal, mas sim com uma planta de mesmo nome. Esse tipo de mel possui propriedades anti-inflamatórias e expectorantes, além de um sabor forte.

Conheça os 6 principais benefícios do mel para a saúde

Agora que você já conhece um pouco mais sobre o mel, vamos te contar quais são seus benefícios para a sua saúde.

Contém antioxidantes


O antioxidante ajuda a proteger o corpo dos danos celulares causados pelos radicais livres (que contribuem com o processo de envelhecimento) e de doenças crônicas como o câncer.

O mel está repleto de antioxidantes, como os flavonoides. Contudo, é necessário manter um estilo de vida equilibrado para prevenir doenças, afinal, o mel não é um alimento milagroso.

Bom para a pele


Já imaginou ter uma pele de bebê graças à saliva das abelhas? O mel contém prolina, secreção salivar das abelhas que ajuda na formação de colágeno, composto decisivo na firmeza da pele.

Por isso, o produto é facilmente encontrado na indústria de cosméticos, em sabonetes e cremes, por exemplo.

Além disso, seus níveis de cálcio e ferro conferem saúde dos ossos e a prevenção da anemia.

Alivia sintomas de resfriados

Sua avó estava certa: o mel possui ação antimicrobiana, capaz de destruir micro-organismos ou impedir seu crescimento. Por isso, ele se tornou famoso por aliviar os sintomas de resfriados, como a dor de garganta.

As características que proporcionam esse resultado são seu pH baixo, baixa quantidade de água e ácido glucônico (que contribui para se tornar um poderoso antibactericida).

Melhora a saúde gastrointestinal

Se você busca um aliado quando o assunto é manter a flora intestinal saudável, o mel é uma ótima opção. 

Atuando na manutenção da microbiota intestinal, ele contribui para a prevenção de diarreia e constipação. A partir de uma microbiota saudável, os micro-organismos ruins do intestino não invadem a corrente sanguínea e nem se espalham pelo corpo. 

Esses benefícios ocorrem porque o mel usa carboidratos não digeríveis e oligossacarídeos que são prebióticos. Legal, né? 

Auxilia na melhora do sistema imunológico

Devido a sua capacidade antimicrobiana, ele pode ser utilizado durante o período de infecção respiratória para auxiliar nas defesas imunológicas.

Essa melhora acontece porque o mel contém flavonoides, ácido fenólico e ácido glucônico, compostos químicos responsáveis pelo combate de infecções respiratórias, como a Haemophilus Influenzae.

Porém, é importante ressaltar que nenhum alimento substitui o tratamento médico.

Diminui os riscos de infecção urinária

Alguns estudos apontam que as bactérias de algumas doenças são sensíveis à ação antibacteriana do mel. Dentre elas, estão a streptococcus faecalis que pode causar infecção urinária. 

Cuidados no consumo de mel

Nem tudo são flores. Apesar de seus inúmeros benefícios e nutrientes, o mel também contém muitos carboidratos e, por isso, é preciso ajustar a quantidade do produto para a sua necessidade calórica. 

Além disso, o mel é fonte de açúcar, e mesmo sendo natural, pode gerar efeitos negativos quando consumido em grandes quantidades - aumentando dos níveis de triglicérides, por exemplo.

Quanto posso consumir de mel diariamente?

Para não exagerar na dose, a recomendação diária é de uma colher de sopa, equivalente a 25 gramas.

Segundo o Instituto Nacional de Excelência na Saúde, o mel pode ser consumido no intervalo de duas a três semanas a partir do início dos sintomas de doenças respiratórias.

Quem não pode consumir mel?

O mel não deve ser utilizado por crianças menores de 1 ano de idade, pois ele contém a Clostridium botulinum, causadora do botulismo

Além disso, pessoas com diabetes precisam evitar o mel, visto que ele possui açúcar simples e eleva a glicemia do sangue rapidamente.

Alérgicos e intolerantes à frutose também devem diminuir o consumo. 

Receitas com mel

Que o mel é uma delícia e possui diversos benefícios, agora nós já sabemos. Para melhorar, só mesmo na versão da barrinha proteica BOLD Pão de Mel: ideal para o dia a dia ou para aquele upgrade em seus preparos na cozinha. 

Ah! Falando nisso, nós temos a receita perfeita para você apaixonado por mel. O Blondie de Pão de Mel com a nova barrinha BOLD promete conquistar.

Confira nossa editoria de receitas para se inspirar. Afinal, você merece o melhor do sabor e do saudável!

29 de julho de 2022 — Talita Camargos

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados